O Tempo de Contribuição Concomitante e a RMI Concomitante são bem simples de calcular pelo CJ, porque se encaixam na estrutura normal de realizar os cálculos do programa.

Vou te explicar cada uma dessas opções:

Tempo de contribuição concomitante / secundário

O sistema identifica automaticamente a existência de períodos concomitantes nos cálculos. Basta você adicionar os períodos de contribuição normalmente, e quando dois períodos ocorrerem no mesmo intervalo de tempo, o CJ irá fazer o cálculo considerando apenas o que é legalmente aceito. Por exemplo:

Acima é possível identificar que o nosso cliente exemplo exerceu duas atividades entre 03/03/1982 e 01/01/1985. Então, no relatório em PDF do tempo de contribuição, é possível identificar exatamente qual período foi considerado secundário, olha só:

Pra saber mais sobre o tempo de contribuição, clique aqui.

O próximo passo é adicionar os salários para os períodos concomitantes.

RMI concomitante

Ao adicionar os salários de contribuição no seu cálculo, você pode decidir como o CJ irá lidar com as contribuições concomitantes.

Na pergunta O que fazer se houver múltiplas contribuições num mesmo mês? você possui diversas possibilidades, e escolher a ideal é muito importante pro resultado do seus cálculos.

Por padrão, o CJ mantém a opção Somar os salários marcada, pois ela será a mais utilizada na maioria dos cálculos.

Se o seu cliente trabalhava na mesma profissão em mais de um lugar ao mesmo tempo, trata-se de atividade simultânea. Um exemplo de atividade simultânea é um cliente que trabalhava em 3 empregos ao mesmo tempo, como professor.

Neste caso, utilize a opção Somar os salários.

Já em casos que não se encaixarem nesse exemplo, você pode utilizar as demais opções previstas no CJ:

  • Maior valor lido vai para RMI principal: com esta opção o maior salário obtido do documento vai para os salários da RMI principal e o segundo maior salário encontrado vai para os salários secundários, da RMI concomitante. Mas você vai ainda poder escolher se deseja considerar a RMI secundária ou não.
  • Usar último valor lido para o mês: Ao ler o CNIS, o sistema apenas considerará o último valor lido para preencher o salário de contribuição da competência correspondente.
  • Primeiro valor lido para RMI principal e segundo valor lido para concomitante: o CJ irá analisar a ordem em que as contribuições estão distribuídas no CNIS e considerar o primeiro valor lido com a atividade principal, e o segundo como atividade secundária.

Por padrão, o CJ mantém a opção Somar os salários marcada, pois ela será a mais utilizada na maioria dos cálculos.

Se você desejar calcular o valor da RMI Secundária, ainda poderá selecionar qual regra deverá ser aplicada no cálculo, se utilizando o Fator Previdenciário da RMI principal ou a Média dos salários de contribuição.

Atenção: Esta opção só serve para calcular a RMI de clientes que exerceram mais de uma profissão ao mesmo tempo (atividades concomitantes) antes de 18/06/2019. Nas DIBs (Data de Início do Benefício) posteriores a esta data, os salários das atividades passaram a ser somados, não importando o tipo das atividades.

Então, quando utilizar essas opções?

Por exemplo: se seu cliente trabalhava em um mesmo período como médico e professor, com uma DIB anterior a 18/06/2019, os salários de contribuição não serão somados, e você pode utilizar uma das três opções alternativas do CJ.

Encontrou sua resposta?