Se você deseja calcular a concessão de qualquer benefício que não seja uma aposentadoria programável como: Aposentadoria por Incapacidade permanente, Auxílio Doença, Salário Maternidade, Pensão por Morte, Amparo Assistencial (LOAS), Auxílio Acidente ou Auxílio Reclusão, o cálculo que você deve gerar é o equivalente à esse exemplo:

No campo Nome do cálculo é onde você criará uma forma de identificar esse cálculo facilmente. Aqui vão algumas dicas de como nomear seu cálculo e poupar seu tempo no futuro.

Bons nomes identificam o cálculo, como Análise dos períodos pretendidos ou Períodos averbados administrativamente. Já nomes ruins são aqueles onde precisa abrir o cálculo para saber do que se trata, como Cálculo 2 ou Cálculo do Juliano.

A Data de início do benefício (DIB) é um dos campos mais importantes do cálculo. Ela será preponderante para diversos aspectos, então muito cuidado ao preencher esse campo! A DIB normalmente é a mesma da Data de Entrada do Requerimento (DER).

Se o seu cliente ainda não tem DIB/DER e você quer ver uma simulação, é recomendado usar a data de hoje.

Depois, você deve escolher qual a espécie de benefício que deseja calcular.

No campo Número do Benefício (NB), informe o número que identifica o processo administrativo e o benefício previdenciário no INSS. Ele é criado no momento do protocolo administrativo. Ele não é um campo de preenchimento obrigatório.

Na pergunta É benefício derivado?, você informará se o benefício foi gerado a partir de outro (como uma aposentadoria por invalidez que deriva de um auxílio doença) ou não. Temos um artigo específico tratando sobre como preencher o benefício originário. Clique aqui para acessar.

Marque as outras opções do cálculo que forem mais adequadas ao pedido que deseja efetuar, e clique em Gerar cálculo para iniciar.

Encontrou sua resposta?